19 de fev de 2011

Do blog do Magno Martins

Coluna de hoje na Folha

Ganhou a confiança

O ministro da Integração, Fernando Bezerra Colho, ganhou a confiança e o respeito da presidente Dilma mais cedo do que imaginava. Numa constelação de 34 ministérios, uma estrutura gigantesca nunca vista na história do País, muitas vezes um ministro passa meses e meses para conseguir um despacho em Palácio.

O que facilitou o trânsito e aproximou FBC da chefa foi a tragédia da natureza, no caso as enchentes no Rio e em São Paulo. Como o fenômeno se observou logo no início de janeiro, quando Dilma sequer havia esquentado a cadeira do seu gabinete, o ministro pernambucano viu cair no seu colo uma rara oportunidade de conviver vários dias com a presidente e mostrar a sua capacidade de trabalho, inclusive viajando juntos.

Nesse curto período, em que agiu rápido e com eficiência, FBC, além de ter sido focado na mídia, acabou se saindo muito bem, surpreendendo a própria ministra. Uma fonte ligada a Dilma, com quem este colunista teve, ontem, uma longa conversa, revelou que a presidente ficou muito bem impressionada com o ministro.

Além de repassar relatórios quase que diários à assessoria direta da presidente, deixando-a a par de tudo que se passa nos municípios devastados pelas cheias do Rio, FBC também criou uma relação direta com o governador carioca Sérgio Cabral. Os homens públicos se afirmam nas grandes diversidades.

DÍVIDA– Sobre as críticas do deputado Tony Gel, o líder na Alepe, Waldemar Borges, diz que o Estado nunca teve tamanha competência para captar recursos e aumentar a capacidade de investimento. “Só em 2010 foram investidos R$ 2,5 bilhões, dos quais R$ 800 milhões de recursos próprios, quando a média de investimentos até 2006 era de R$ 600 milhões. O comprometimento da receita com a amortização da dívida caiu de 67% para 48%, afirmou.

Saia justa - O vice-presidente da República e presidente licenciado do PMDB, Michel Temer (SP), deixou Raul Henry, ontem, que votou com o governo no novo salário mínimo, numa tremenda saia justa. Afirmou que todos os deputados, incluindo Henry, mostraram fidelidade ao Governo e ao PMDB.

Constrangimento no PDT - O ministro do Trabalho, Carlos Lupi, ficou em maus lençóis com o comportamento do seu partido, o PDT, na votação do salário mínimo na Câmara. Nove dos 27 deputados pedetistas votaram pelos R$ 560. A coordenação política do Governo ameaça com retaliação. Lupi passou o dia, ontem, dando explicações e chegou a admitir que poderia estar fora do Governo.

Cantando de galo - PT e PMDB, que brigam por cargos e poder no Governo Dilma, estão mais assanhados ainda depois da votação do mínimo de R$ 545. Henrique Alves, líder do PMDB, tomou para si os louros da vitória. Tudo porque nenhum deputado do partido se rebelou, enquanto no PT nove deputados traíram o governo.

Troca-troca - O Governo recuou e trocou Afogados da Ingazeira por Serra Talhada como sede dos encontros regionais depois que o prefeito Carlos Evandro se rebelou. Mas, a assessoria do governador garante que a mudança atendeu critérios populacionais. Em tempo, Serra Talhada tem o dobro da população de Afogados.

CURTAS –

FESTA– Depois da reunião dos governadores com Dilma em Aracaju, na próxima segunda-feira, o governador Eduardo Campos embarca para São Paulo, para participar das festividades alusivas aos 90 anos do jornal Folha de São Paulo.

ABATE– O secretário de Agricultura, Ranilson Ramos, fez, ontem, uma peregrinação pelo Agreste e Sertão. Em Afogados da Ingazeira, se reuniu com cinco prefeitos para discutir a proposta de regionalização dos abatedouros públicos.

VAGAS Em Caruaru, o juiz mandou empossar Gilberto de Dora no lugar de Laura Gomes no critério da suplência de partido. Em Buique, a vereadora Rose Mary (PSB) perdeu a vaga para Ernani Neto, do PP. Vai ser assim até o STF se pronunciar.

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...