Confraternização do PSB/PE

Com os companheiros Secretário de Juventude do PSB Paulo Henrique Ferreira e vereador do Recife Inácio Neto.

Pense num São João arretado de bom!!!

Parabenizamos a Prefeitura de Camocim de São Félix e ao Governo do Estado por um dos melhores Festejos Juninos realizados em nosso município

Socialistas reelegem Eduardo Campos presidente nacional do PSB

Como já era esperado pelos militantes do partido o governador de Pernambuco, Eduardo Campos, foi reconduzido, por aclamação, à presidência do PSB

entrevista Carlos Siqueira sobre o XII Congresso Nacional 18:16

Carlos Siqueira explicou em entrevista para o Portal PSB Nacional que Jamil Haddad e Nelson Mandela serão os grandes homenageados deste Congresso.

Casas das Juventudes tem até amanhã para concorrer a incentivo

O Governo do Estado de Pernambuco, através da Secretaria da Criança e da Juventude - SCJ selecionará propostas de programas e ações para o fortalecimento da Política Pública de Juventude...

17 de fev de 2012

Luta contra a corrupção e a impunidade no país!


STF decide pela constitucionalidade da Lei da Ficha Limpa
Os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) concluíram nesta quinta-feira (16) a análise conjunta das Ações Declaratórias de Constitucionalidade (ADCs 29 e 30) e da Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI 4578) que tratam da Lei Complementar 135/2010, a Lei da Ficha Limpa. Por maioria de votos, prevaleceu o entendimento em favor da constitucionalidade da lei, que poderá ser aplicada nas eleições deste ano, alcançando atos e fatos ocorridos antes de sua vigência.
A Lei Complementar 135/10, que deu nova redação à Lei Complementar 64/90, instituiu outras hipóteses de inelegibilidade voltadas à proteção da probidade e moralidade administrativas no exercício do mandato, nos termos do parágrafo 9º do artigo 14 da Constituição Federal.
Em seu voto, o ministro relator, Luiz Fux, declarou a parcial constitucionalidade da norma, fazendo uma ressalva na qual apontou a desproporcionalidade na fixação do prazo de oito anos de inelegibilidade após o cumprimento da pena (prevista na alínea “e” da lei). Para ele, esse tempo deveria ser descontado do prazo entre a condenação e o trânsito em julgado da sentença (mecanismo da detração). A princípio, foi seguido pela ministra Cármen Lúcia Antunes Rocha, mas, posteriormente, ela reformulou sua posição.
A lei prevê que serão considerados inelegíveis os candidatos que forem condenados, em decisão transitada em julgado ou proferida por órgão judicial colegiado, em razão da prática de crimes contra a economia popular, a fé pública, a administração pública e o patrimônio público; contra o patrimônio privado, o sistema financeiro, o mercado de capitais e os previstos na lei que regula a falência; e contra o meio ambiente e a saúde pública.
Serão declarados inelegíveis ainda os candidatos que tenham cometido crimes eleitorais para os quais a lei comine pena privativa de liberdade; de abuso de autoridade, nos casos em que houver condenação à perda do cargo ou à inabilitação para o exercício de função pública; de lavagem ou ocultação de bens, direitos e valores; de tráfico de entorpecentes e drogas afins, racismo, tortura, terrorismo e hediondos; de redução à condição análoga à de escravo; contra a vida e a dignidade sexual; e praticados por organização criminosa, quadrilha ou bando.
As ADCs, julgadas procedentes, foram ajuizadas pelo Partido Popular Socialista (PPS) e pelo Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). Já a ADI 4578 – ajuizada pela Confederação Nacional das Profissões Liberais (CNPL), que questionava especificamente o dispositivo que torna inelegível por oito anos quem for excluído do exercício da profissão, por decisão do órgão profissional competente, em decorrência de infração ético-profissional –, foi julgada improcedente, por maioria de votos.
Divergência
A divergência foi aberta pelo ministro Dias Toffoli que, baseando seu voto no princípio da presunção de inocência, salientou que só pode ser considerado inelegível o cidadão que tiver condenação transitada em julgado (quando não cabe mais recurso). A Lei da Ficha Limpa permite que a inelegibilidade seja declarada após decisão de um órgão colegiado. O ministro invocou o artigo 15, inciso III, da Constituição Federal, que somente admite a suspensão de direitos políticos por sentença condenatória transitada em julgado. Com relação à retroatividade da lei, o ministro Dias Toffoli votou pela sua aplicação a fatos ocorridos anteriores à sua edição.
O ministro Gilmar Mendes acompanhou a divergência aberta pelo ministro Dias Toffoli, mas em maior extensão. Para ele, a lei não pode retroagir para alcançar candidatos que já perderam seus cargos eletivos (de governador, vice-governador, prefeito e vice-prefeito) por infringência a dispositivo da Constituição estadual, da Lei Orgânica do Distrito Federal ou da Lei Orgânica dos municípios. Segundo o ministro Gilmar Mendes, a lei não pode retroagir para alcançar atos e fatos passados, sob pena de violação ao princípio constitucional da segurança jurídica (art. 5º, inciso XXXVI).
O decano do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Celso de Mello, votou pela inconstitucionalidade da regra da Lei Complementar 135/10, a Lei da Ficha Limpa, que prevê a suspensão de direitos políticos sem decisão condenatória transitada em julgado. “Não admito possibilidade que decisão ainda recorrível possa gerar hipótese de inelegibilidade”, disse.
Ele também entendeu, como o ministro Marco Aurélio, que a norma não pode retroagir para alcançar fatos pretéritos, ou seja, fatos ocorridos antes da entrada em vigor da norma, em junho de 2010. Para o decano, isso ofende o inciso XXXVI do artigo 5º da Constituição Federal, que determina o seguinte: “a lei não prejudicará o direito adquirido, o ato jurídico perfeito e a coisa julgada”. Segundo o ministro Celso de Mello, esse dispositivo é parte do “núcleo duro” da Constituição e tem como objetivo impedir formulações casuísticas de lei.
O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Cezar Peluso, votou no sentido de que a Lei Complementar 135/2010, ao dispor sobre inelegibilidade, não pode alcançar fatos ocorridos antes de sua vigência. Isso porque, para o presidente a inelegibilidade seria, sim, uma restrição de direitos.
O ministro Peluso disse concordar com o argumento de que o momento de aferir a elegibilidade de um candidato é o momento do pedido de registro de candidatura. Ele frisou que o juiz eleitoral tem que estabelecer qual norma vai aplicar para fazer essa avaliação. Para o ministro, deve ser uma lei vigente ao tempo do fato ocorrido, e não uma lei editada posteriormente.
Twitter
Nas sessões desta quarta e quinta-feira, o tema Ficha Limpa esteve entre os dez assuntos mais comentados no país (top trends brazil) no microblog Twitter. No perfil do STF (twitter.com/stf_oficial), que já conta com mais de 198 mil seguidores, os interessados puderam acompanhar informações em tempo real do julgamento e dos votos dos ministros, cujos nomes se revezavam nos top trends Brazil à medida em que se manifestavam sobre a matéria.
Veja mais detalhes do voto de cada um dos ministros:
Do site do STF

16 de fev de 2012

PELA CONSTITUCIONALIDADE DO FICHA LIMPA JÁ!


6 de fev de 2012

Em movimento...



2 de jan de 2012

Fotos da Confraternização do PSB/PE

Com o Presidente Sileno Guedes.

Com meu companheiro André Brasil.

Com o companheiro João Rocha.

Com os companheiros Secretário de Juventude do PSB Paulo Henrique Ferreira e vereador do Recife Inácio Neto.

Com o Deputado Ninho.

29 de dez de 2011


PARABÉNS CAMOCIM!!!

É motivo de grande alegria comemorarmos um aniversário porque são anos que refletempermanência de algo que dura. Por isso comemoramos com orgulho o aniversário de nosso município que em 29 de dezembro de 1953 conseguiu sua emancipação política. Esperamos que os clarins que hoje brilham, tragam esperanças de desenvolvimento atingindo, assim, a sua função política de assegurar, aos munícipes, saúde, trabalho, habitação, lazer e segurança. ParabénsCamocim de São Félix pelo povo hospitaleiro, guerreiro e sobretudo trabalhador!

SEVERINO BEZERRA NETO (Neto de Vanderlande)

20 de dez de 2011

MENSAGEM DE NATAL E ANO NOVO!!!


Mais um ano chega ao seu final e com este, que faz com que os sentimentos de fé e esperança se renovem, agradeço aos meus amigos e amigas, companheiros e companheiras por estarem sempre do nosso lado. Sinto-me privilegiado por contar com sua confiança e amizade. Desejo a todos os camocinenses que as alegrias dos festejos de natal e de ano novo se estendam por todos os dias de 2012, com muita saúde e muita prosperidade.
Acreditem que sempre há alguém que aposta numa sociedade mais justa, igualitária e que leva a política a sério. Por isso, com o coração cheio de gratidão, suplico a Deus, para que o Natal e o Ano Novo que se aproximam, fortaleça, em nós, a decisão de se lutar cada vez mais por um mundo mais justo, mais fraterno e cheio de PAZ.

Desejo a você, seus familiares, amigos e a todo povo de Camocim de São Félix, um Natal de muita PAZ, ALEGRIA e AMOR. E que o próximo Ano seja ainda mais repleto de sonhos e realizações. “Que todos possam alcançar as suas metas com dignidade e respeito ao seu semelhante”.

UM FELIZ NATAL E UM PRÓSPERO ANO NOVO!!!

Severino Bezerra Neto (Neto de Vanderlande).

5 de dez de 2011

Socialistas reelegem Eduardo Campos presidente nacional do PSB


Como já era esperado pelos militantes do partido o governador de Pernambuco, Eduardo Campos, foi reconduzido, por aclamação, à presidência do PSB durante o XII Congresso Nacional da legenda, em Brasília, neste sábado (3). Também por unanimidade, foram eleitos os membros do novo Diretório Nacional e dos Conselhos de Ética e Fiscal.
A unidade da sigla decorre da confiança depositada pela militância no projeto partidário socialista difundido por Eduardo Campos e pelos demais dirigentes do partido. “O PSB sai fortalecido para as eleições municipais de 2012. Desde 2005 os diretórios se mantêm unificados, sem disputas de chapas, o que dá força à legenda”, comemorou Campos. E emendou: “O PSB que viver 2012, pensando em 2012”.
No discurso de encerramento do congresso, Eduardo Campos ressaltou a importância de cada um dos dirigentes partidários no desenvolvimento do partido e defendeu um debate fraterno entre a militância. Destacou ainda a importância de se aproximar com “Brasil real, da pauta real do povo, para reinventar o entusiasmo do brasileiro que sonha em contribuir para mudar as conjunturas econômicas. É preciso criar vida na vida do brasileiro”.
À frente de milhares de militantes, também afirmou que é preciso cuidar do desequilíbrio social. “É com dor no coração que vejo tanta discriminação, fome, desigualdade, pobreza. Precisamos tomar consciência de nossa responsabilidade com o povo”. “É preciso ter compromisso com a verdade. Na política, não vale a pena ganhar de todo o jeito, mas ganhar para fazermos algo de bom”, completou.
Por fim, Eduardo Campos lembrou o plano do PSB de lançar candidatos a prefeito na disputa eleitoral de pouco mais de 1500 municípios, em 2012. E a estratégia, segundo ele, é “enfrentar os problemas sociais e urbanísticos das cidades”.
Para o vice-presidente reeleito, Roberto Amaral, Eduardo Campos “é a pessoa que norteia o congresso” e reforçou a convicção do presidente de que o partido está pronto para aumentar sua base e conquistar mais espaço no cenário político do Brasil. “O novo Diretório Nacional se prepara para levar o PSB a uma nova fase de construção partidária com foco nas eleições de 2012”.
Comissão Executiva Nacional
Logo após o encerramento do congresso, os novos dirigentes se reuniram pela primeira vez, com o propósito de eleger a Comissão Executiva Nacional do PSB. Eduardo Campos foi mantido na presidência, Roberto Amaral seguiu como 1 vice-presidente e Carlos Siqueira como primeiro-secretário Nacional. A única mudança foi a inclusão de todos os governadores socialistas no colegiado. A relação completa da nova direção será divulgada na segunda-feira (5).
De acordo com Eduardo Campos, o próximo encontro acontecerá na segunda quinzena de janeiro para “avaliarmos os desdobramentos do XII Congresso Nacional do PSB”.

Do Portal do PSB Nacional

17 de nov de 2011

EDITAL DE CONVOCAÇÃO DO X CONGRESSO NACIONAL DA JUVENTUDE SOCIALISTA BRASILEIRA - JSB

Juventude Socialista Brasileira
Direção Nacional
X CONGRESSO NACIONAL


EDITAL DE CONVOCAÇÃO


A Secretaria Nacional de Juventude do Partido Socialista Brasileiro, através de seu
Secretário, com fundamento no que dispõe o Regimento dos órgãos de Representação do PSB, convoca todos os delegados eleitos em suas seções estaduais a comparecerem no dia 1 de dezembro de 2011, a partir das 9:00 horas, no Senado Federal – Praça dos Três Poderes – Anexo II, em Brasília-DF, para realização do X Congresso Nacional da JSB que deverá debater e deliberar sobre a seguinte pauta:


A) Conjuntura Nacional e Internacional;
B) Políticas Públicas de Juventude;
C) A Juventude e o Socialismo;
D) Política e a JSB nas eleições de 2012 e 2014;
E) Transparência e desenvolvimento sustentável;
F) Eleição e posse da nova Direção Executiva Nacional da JSB.


Todos os delegados têm garantido direito a voz e voto e, no fim da votação, será
procedida a apuração, proclamando-se os resultados, e encerrando-se o Congresso com a lavratura da Ata.


Brasilia, 09 de setembro de 2011


Alex Sandro Silva Nazaré
Secretário Nacional de Juventude do PSB


Juventude Socialista Brasileira - JSB
SCLN 304 – Bloco A – Entrada 63 – sobreloja – CEP 70.736-510
Brasília - DF – Telefone (061) 327 5196
www.jsb.org.br / contato@jsb.org.br




Portal PSB entrevista Carlos Siqueira sobre o XII Congresso Nacional



O Partido Socialista Brasileiro (PSB) realizará nos próximos dias 2 e 3 de dezembro o XII Congresso Nacional. De acordo com o primeiro-secretário Nacional do PSB e presidente da Fundação João Mangabeira (FJM), Carlos Siqueira, os temas principais do Congresso são: A Questão Urbana no Brasil e as Eleições Municipais. “Estamos às vésperas de um ano eleitoral e a bandeira da reforma urbana vem sendo definida pelo PSB há alguns anos. Queremos um novo caminho para as nossas cidades”, afirmou o socialista. Além do debate, Carlos Siqueira explicou em entrevista para o Portal PSB Nacional que Jamil Haddad e Nelson Mandela serão os grandes homenageados deste Congresso.  Confira abaixo a íntegra da entrevista.
Portal PSB: O PSB realizará o XII Congresso Nacional nos próximos dias 2 e 3 de dezembro. Qual será o principal tema desse Congresso?
Carlos Siqueira:O Congresso Nacional é o ponto culminante de um processo congressual que se inicia com os congressos municipais - realizados no mês de setembro em mais de três mil municípios brasileiros onde o PSB é organizado – e com os congressos estaduais– realizados durante todo o mês de outubro.Desta forma, o resultado desses congressos culmina-se nos dias 2 e 3 de dezembro quando será realizado o XII Congresso Nacional cujo tema principal é a Questão Urbana e as Eleições Municipais.
Por que esse tema?  Nós estamos às vésperas de um ano eleitoral e a bandeira da reforma urbana vem sendo definida pelo PSB há alguns anos. Nós já temos experiências acumuladas do ponto de vista de mudanças e de reforma urbana em muitos municípios brasileiros e nós queremos continuar trabalhando essa questão. Achamos que a questão urbana no Brasil, da forma como ela se desenvolveu desordenada, diria até que de forma irresponsável, acumulou uma série de problemas que para encontrar soluções adequadas levará alguns anos e, exigirá que as políticas públicas sejam integradas. Ou seja, políticas que resolvam os problemas como o saneamento urbano, praças, ambientes de lazer, de cultura, de esportes, de transporte, educação de qualidade, assistência à saúde.todos esses aspectos estão envolvidos na questão urbana. A habitação, a propriedade da terra, são questões centrais para o enfrentamento. A população das nossas cidades, em grande parte, habita em bairros periféricos em condições praticamente sub-humanas e que precisam de políticas públicas capazes de retirar dessa condição de subcidadania.
Nós socialistas não podemos deixar e nem encarar como outras forças e outros setores da sociedade encaram a questão da subcidadania, como uma questão normal. O grau de violência que as cidades estão submetidas, sobretudo nos bairros periféricos das grandes e médias cidades brasileiras é inaceitável. Para se ter uma idéia, a cada ano morrem mais jovens na periferia de cada cidade brasileira do que vários conflitos armados por razões justas e injustas no mundo inteiro.Sem falar no problema das drogas que afeta enormemente as nossas cidades e principalmente os nossos jovens, que precisam ser retirados dessa condição de influência do tráfico de drogas e serem levados para a escola, para o esporte, para o lazer, para participar da cultura como cidadãos plenos e para oferecer um futuro capaz de assegurar uma maturidade digna.
Então, é um conjunto de problemas que para serem solucionados precisam de políticas integradas.  Ou se tem políticas urbanas integradas capazes de enfrentar o problema no seu conjunto, na sua totalidade, ou os problemas estarão sempre presentes, já que os diferentes governos tratam com soluções pontuais. Faz um saneamento ali, um bairro acolá, e assim os governos vão realizando coisas que não dão conta de uma solução mais ampla e necessária para resolver a questão urbana. Daí porque, o PSB pensa que é necessário um esforço conjunto das três esferas de governo; municipal, estadual e federal, sobretudo de um programa que possa ser coordenado pelo governo federal, envolvendo essas três instâncias de governo e a sociedade para enfrentar todas essas questões que eu mencionei acima.
Portal PSB: Um novo caminho para as nossas cidades. É isso Dr. Carlos Siqueira?
Carlos Siqueira: Exatamente. Esse é o slogam que de certa maneira sintetiza tudo aquilo que o PSB deseja para as cidades brasileiras. O XII Congresso Nacional será uma oportunidade para aprofundar o debate sobre o tema da reforma urbana e para orientar também o Partido e os nossos pré-candidatos a prefeitos, vice-prefeitos e vereadores a fazer o diagnóstico de cada município onde o Partido está implantado. Onde existe o PSB, deve haver um diagnóstico sobre todos os problemas dos municípios, levando em consideração as deficiências de cada cidade. Desta forma, tanto o prefeito, vice-prefeito e vereador serão capazes de identificar os problemas e procurar soluções adequadas para o conjunto de cada município.  O Congresso será uma oportunidade importante para fazer a orientação sobre as alianças para as eleições municipais do ano que vem e transformar a bandeira do PSB, que é a questão urbana, em um projeto de trabalho permanente nos próximos anos.
Portal PSB: Sobre as eleições municipais, como esse tema será conduzido durante o Congresso Nacional do PSB?
Carlos Siqueira: No âmbito da discussão sobre a questão urbana, nós vamos reservar uma parte do tempo para aprovar uma resolução que trate das coligações e dos compromissos programáticos dos nossos pré-candidatos. Será uma resolução indicativa para que todo pré-candidato a prefeito, vice-prefeito e vereador do nosso partido tenha que fazer um curso preparatório para obter a vaga de candidato do PSB. Desta forma, qualificaremos melhor os nossos pré-candidatos, para que eles possam chegar nas eleições e apresentar, considerando as circunstâncias locais, projetos unificados e válidos para todos os municípios brasileiros. É claro que é preciso levar em consideração a necessidade da implantação das políticas públicas municipais, principalmente a legislação que trata da questão do estatuto das cidades. Nós temos que incentivar os nossos candidatos a transformar o estatuto das cidades – que é uma lei muito importante aprovada pelo nosso parlamento – em um programa de trabalho a ser executado. A realidade é que o Brasil tem todos os instrumentos para fazer a reforma urbana. No entanto, falta uma visão de integração das políticas públicas, a observação da legislação que já trata do tema e a decisão política de realizar e de melhorar a vida da população.
Portal PSB: Dr. Carlos Siqueira, o PSB é o partido que mais cresceu nos últimos anos. A qual fator o sr. atribui essa evolução?
Carlos Siqueira: Nós podemos considerar vários fatores. Entre eles, podemos mencionar o sucesso de muitas administrações do nosso partido, tanto municipais como estaduais.  O PSB tem procurado qualificar os seus quadros para no governo ter um planejamento eficaz capaz de melhorar a vida da população. E isso tem sido feito de maneira muito positiva em vários estados. Não por acaso nós tivemos a conquista de seis governos estaduais nas eleições de 2010.  Dobramos, praticamente, a bancada federal na Câmara dos Deputados e no Senado e também as bancadas estaduais. Nós temos um crescimento progressivo. Outro aspecto, é a preocupação do partido em se harmonizar em todo o País, em atrair boas lideranças, em ter boas administrações. Esse conjunto de fatores faz com que o Partido venha a crescer de maneira consistente e com qualidade – outro aspecto fundamental, porque a política não são apenas números. Nós temos um ideário político, nós somos um partido histórico, ideológico, programático e, essa forma de governar e de fazer política do PSB em constante processo de proposições de mudanças estruturais tem atraído cada dia mais os brasileiros. Nós esperamos que o nosso Partido continue assim e gradativamente possa conquistar não apenas governos estaduais mas também o governo federal – o nosso grande objetivo.
Qual será a programação do 12º Congresso Nacional do PSB?

Carlos Siqueira:A programação será reaizada toda em Brasília. Começaremos no dia 1º, às 15 horas, sob a coordenação do vice-presidente, Roberto Amaral – que também é o encarregado pelas relações internacionais do PSB -, e com a participação do presidente Eduardo Campos, uma reunião plenária com convidados internacionais de vários países que já confirmaram presença. Será realizada também no dia 1º, na parte da manhã, uma reunião da Coordenação Socialista Latino Americana (CSL) – que é integrada por todos os partidos socialistas do nosso Continente.No dia 2 de dezembro, às 9 horas, serão realizados os congressos dos segmentos organizados do PSB: mulheres, jovens, sindicalistas, negros, populares e a plenária do movimento LGBT.  São cinco Congressos e mais a plenária LGBT. Esses movimentos se reunirão em salas do anexo 2 da Câmara dos Deputados, em Brasília, nos dois expedientes – pela manhã e à tarde – para debater os temas específicos de cada um desses segmentos e também para debater o tema central do Congresso.
Ainda no dia 2, o PSB oferecerá um almoço para as delegações internacionais seguido de plenária.  Ao final do dia, às 18 horas, haverá um ato político e cultural de abertura do 12º Congresso Nacional do PSB, onde serão realizadas duas homenagens: uma nacional, dedicada ao nosso presidente de honra, Jamil Haddad, que também por muitos anos foi o presidente do nosso Partido. Uma figura excepcional, de extraordinária dimensão humana e política e que teve papel central no início da reconstrução do PSB, e no exercício, em nome do Partido, de vários cargos políticos, como prefeito do Rio de Janeiro, senador, deputado federal, deputado estadual e ministro da saúde.
A outra homenagem será dedicada a uma personalidade internacional. Por ser o ano internacional afro-descendente, o PSB decidiu homenagear uma figura que seguramente simboliza a luta dos negros por sua libertação, pela sua emancipação, pela sua cidadania plena: Nelson Mandela. Um estadista que lutou extraordinariamente pela libertação, pelo fim do aparthaide em seu país. Nelson Mandela continua sendo o inspirador de muitos movimentos emancipatórios no mundo inteiro e de todos aqueles que lutam por uma sociedade livre, justa e humana.
Após essas homenagens, teremos a aprovação do Regimento Interno do Congresso, pronunciamentos dos nossos dirigentes e a apresentação do relatório de gestão política que será apresentado pelo presidente Nacional do Partido, Eduardo Campos. Teremos a presença de convidados nacionais e internacionais e, também, do pianista Arthur Moreira Lima e do poeta popular, Antônio Marinho. Eles vão abrilhantar o nosso evento político e cultural de abertura do 12º Congresso. Será um ato político e cultural que esperamos que seja denso, politizado e capaz de envolver todos os companheiros e companheiras socialistas na atmosfera do Congresso.
No dia 3 pela manhã, já a partir das 9 horas, nós teremos uma plenária sobre o tema da Questão Urbana no Brasil. Para este fim, a Fundação João Mangabeira visando contribuir com o debate, já encaminhou a muitos companheiros um texto tratando dos diferentes aspectos da questão urbana no Brasil. Nesta ocasião, serão debatidas as deliberações que, posteriormente, serão publicadas no memorial do XII Congresso. À tarde, serão realizadas as eleições do novo Diretório Nacional, os conselhos de Ética e Fiscal. Em seguida teremos a primeira reunião do Diretório Nacional e a eleição na nova Executiva Nacional do PSB. Este será o último ato do Congresso.
O senhor falou das plenárias dos segmentos organizados. Como os movimentos sociais podem ajudar o PSB e Também o Brasil?
Carlos Siqueira: A participação de lideranças socialistas nas organizações dos movimentos sociais  e populares é fundamental para que eles possam ser a seiva que alimenta a militância do Partido. Não apenas internamente no PSB, mas, sobretudo, esses segmentos têm por objetivo participar dos movimentos sociais na sociedade. Ou seja, no PSB eles se organizam internamente e influem na condução interna do Partido em todas as instâncias, inclusive na Executiva Nacional com direito a voz e voto. No âmbito organizativo, a preparação é para que eles participem dos diferentes movimentos sociais e populares na sociedade. Ou seja, preparar as lideranças socialistas para que elas possam se relacionar e participar dos movimentos sociais organizados sem nunca confundir com os partidos. Os movimentos sociais, sob o nosso conceito, têm autonomia e diversidade. Eles não são propriedade nem do nosso e nem de nenhum partido. Os socialistas entendem que a participação deve ser feita considerando a pluralidade de cada segmento organizado, respeitando a sua autonomia e diversidade.
Nós precisamos respeitar os movimentos sociais, dinamizá-los e contribuir para que eles possam cumprir o seu papel crítico em relação a qualquer que seja o governo. Eles podem e devem apoiar os governos, mas de maneira autônoma, compreendendo o conjunto das lutas sociais como uma ação política transformadora.
Qual é expectativa para o Congresso?
Carlos Siqueira: A expectativa é a melhor possível. Eu acredito que nunca na história recente do nosso Partido tivemos um congresso com tanta unidade. Nós participamos de vários congressos municipais, estaduais e seminários ao longo desse ano, e percebemos que além do Partido estar em uma dinâmica muito positiva de crescimento, de harmonia e de unidade, o PSB vem para esse congresso unido no o sentido de avançar nas questões organizativas e políticas e, sobretudo, de se preparar e de qualificar os seus membros para as disputas eleitorais por um lado e, para as disputas na sociedade com os movimentos sociais e populares. Este é um momento excepcional. Acredito que a figura dinâmica e ainda quase jovem do nosso presidente Nacional, Eduardo Campos, tem contribuído de maneira muito significativa para que o PSB esteja unido, entusiasmado e com um dinamismo que nos alegra a todos.

Fonte: Portal do PSB Nacional

1 de nov de 2011

Pernambuco realiza 2ª Conferência Estadual de Juventude dos dias 04 a 06 de novembro


Mais de 600 jovens entre delegados eleitos nas Conferências Municipais, Territoriais e Regionais, além de representantes da sociedade civil estarão reunidos nesta sexta-feira a domingo (04, 05 e 06) na 2ª Conferência Estadual de Políticas Públicas de Juventude de Pernambuco, promovida pela Secretaria da Criança e da Juventude do Estado (SCJ). A abertura do encontro acontecerá às 16h, no auditório Tabocas - Centro de Convenções de Pernambuco.

A Conferência Estadual da Juventude juntará as principais propostas discutidas nas etapas Municipais, Territoriais e Regionais, além das etapas livres realizadas presencial e virtualmente. Essas propostas serão levadas para a 2ª Conferência Nacional de Juventude, que acontecerá em Brasília, dos dias 9 a 12 de dezembro.Nas Municipais, Pernambuco conseguiu mobilizar mais de 12 mil jovens. Já nas Regionais, as propostas elaboradas nos municípios foram consolidadas nas quatro regiões do Estado: Sertão, Agreste, Zona da Mata e Região Metropolitana do Recife. Também nessas conferências foram eleitos os delegados das cidades que não haviam realizado suas conferências municipais.Já nas Territoriais, os jovens que vivem no campo participaram das discussões, consolidando suas experiências e debatendo as políticas públicas de juventude no âmbito dos territórios. Quatro Conferências Territoriais foram realizadas no mês de setembro em Ibimirim, Glória do Goitá e Afogados da Ingazeira. Cerca de 400 pessoas participaram dos encontros e 60 delegados foram eleitos para Estadual.


Do Portal do Governo de Pernambuco
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...